Sábado, 19 de Janeiro de 2008

Entrevista: Murilo Rosa!

Antes de Desejo Proibido começar, muita gente achava que um padre apaixonado por uma mulher chocaria o público. De acordo com Murilo Rosa, o intérprete do religioso Miguel na novela, não foi isso que aconteceu.

 

 

Em Desejo Proibido, seu personagem aborda uma questão delicada, que é um padre se apaixonar. Você já foi chamado de pecador nas ruas?
Não. A emissora já fez uma pesquisa e 92% das pessoas consultadas querem que o padre Miguel abandone logo a batina e viva sua história de amor sem medo com a Laura.
Quando alguém está em crise com sua vocação, é porque não tem mais aquela vocação. Já aconteceu uma cena em que ele confessava ao Padre Inácio que o amor que sentia por Laura era maior do que a vocação. Ele quer continuar sendo um homem de Deus, mas vai fazer isso de outra forma. Não houve rejeição.

E entre os religiosos? Você já recebeu a resposta de algum padre em relação ao seu papel na novela?
Já conversei com o maravilhoso Padre Omar , que conheço no Rio de Janeiro. O personagem Miguel, aliás, tem muitos pontos de identificação com esse padre. Ele disse que está adorando a novela.
Acredito, na verdade, que um bom padre não vai julgar um colega que se apaixonou e quer deixar a igreja por causa disso. Antes de serem padres, todos são homens e estão susceptíveis a se apaixonar. Tenho o exemplo da minha mãe, que é muito católica. No início da novela, ela torcia para que o Miguel e a Laura não se beijassem. Mas ela não sabia da virada da novela. O casal central geralmente só se encontra no final de um folhetim, mas em Desejo Proibido isso já está acontecendo, o que é legal para a trama.

Você vem de uma família católica. Sua relação com a religião mudou desde que passou a interpretar um padre?
Passei a respeitar muito mais as pessoas envolvidas com religião. Na preparação para fazer o Miguel, passei três dias em um mosteiro, que fica a 100 quilómetros de Curitiba.
Lá vivem 25 monges e 11 deles já fizeram voto perpétuo, quer dizer, vão ficar lá para sempre. Eles oram, lêem e estudam muito. São bastante cultos. Noventa por cento das pessoas envolvidas com a igreja são maravilhosas, estão em missões na Amazónia , trabalhando com pessoas doentes. A igreja católica tem uma história fascinante, mas é comandada por homens e, por isso, cometeu erros como a Inquisição, que todo mundo gosta de enfatizar. O que não dá é para se prender a esses acontecimentos e generalizar. Mas como as pessoas têm uma tendência à maldade, enfatizam os problemas com padres pedófilos e coisas do tipo.

Antes de Desejo Proibido, seu último personagem de destaque foi o Dinho , de América. Você fez mais sucesso com as mulheres como um peão ou como um padre bonitão?
Os personagens chamam a atenção de maneira diferente. Aquelas bem... (pausa) sem-vergonhas ", que adoram um desejo proibido, vão fantasiar com o padre. Ah, eu não vou falar isso (risos).

Já entendi que se o padre for bonitão ele chama mais a atenção...
Chama a atenção mas de um jeito diferente. O Dinho, de América, era um personagem totalmente aberto, não tinha proibições, falava o que queria e realizava suas fantasias com a Neuta, da Eliane Giardini . No caso do padre Miguel, ele não sabia o que é ter essa liberdade para viver um amor. É um cara puro, sem maldade. Às vezes as pessoas fantasiam uma imagem sobre essa figura.

Acha que o Dinho foi um passo importante para você conquistar o seu primeiro protagonista em uma novela da Globo?
Sem dúvida, esse personagem foi um marco na minha carreira. Não porque foi o meu melhor trabalho no sentido da interpretação, mas porque foi a única novela das oito que fiz. Horário nobre é uma outra história, um outro tipo de repercussão.
O destino também me ajudou. Estava bem preparado, como me preparo para todos os personagens. Meu par romântico seria a Gabriela Duarte mas ela acabou ficando com o Tião , personagem do Murilo Benício. Como havia uma história de gracinhas com a viúva Neuta , pensei: "vou investir minhas fichas nessa trama". O casal aconteceu e virou uma loucura. Acho que o Dinho tinha todos os ingredientes que uma mulher sonha. Era um cara fiel, apaixonado, bem-humorado, viril e cheio de desejos. Lembro-me que em um jantar, encontrei o autor Manoel Carlos e ele me disse: "esse é o tipo de sucesso que poucos actores fazem poucas vezes na vida".

Essa afirmação do Manoel Carlos fez você pensar nos trabalhos que viriam a partir dali? Você se angustiou com o que poderia acontecer com sua carreira depois do sucesso do Dinho ?
Não tenho do que reclamar e só posso agradecer as felicidades que estou tendo com essa profissão. Nem todo mundo consegue viver do ofício de actor . Eu consigo, e muito bem.
Antes de Desejo Proibido fui chamado para fazer outras três novelas, mas não pude aceitar porque tinha compromissos. O meu futuro na profissão depende do que estou fazendo no presente. E até agora, tem dado tudo certo.

O personagem que eu precisava fazer nesse momento era o Miguel. Acho ele especial e a novela linda. Também penso que o importante é cada vez mais fazer trabalhos melhores e não ficar louco para ser o centro das atenções da mídia . Já passei pela fase de ir a todas as festas e estreias e depois me ver em todas as revistas. Hoje sei que, quanto mais ficar em casa, melhor será para minha carreira.

O casamento com a modelo Fernanda Tavares e o nascimento de seu filho Lucas interferem nessa sua opinião?
Com certeza. Atingi a felicidade máxima na minha vida pessoal e, profissionalmente, estou fazendo uma novela bonita na melhor emissora da América Latina. Não ignoro tudo isso. Na minha vida eu quero cuidar da minha família e fazer bons trabalhos.

Um passo de cada vez
Murilo Rosa não conheceu o sucesso logo de cara. Muito pelo contrário. O próprio actor brinca com sua estreia na televisão. Foi em 1994, na novela 74.5 Uma Onda no Ar, da extinta TV Manchete.
"Acho que só meus pais, minha tia e alguns amigos assistiam. Tinha um ou dois pontos de audiência", recorda. Em seguida, veio Antonio Alves, Taxista, no SBT . Outra produção que não foi nenhum estrondo. "Mas foi quando comecei a receber alguns elogios", ressalva. O cenário melhorou bem com Xica da Silva, também da Manchete, um folhetim de razoável sucesso. Murilo interpretava o protagonista jovem da trama, Martim. "Foi aí que dei o meu grande passo. Meu trabalho subiu um degrau", avalia. E a carreira não desandou mais. Ele ganhou mais outro papel importante em Mandacaru e não demorou a ser chamado por Jayme Monjardim para interpretar um personagem na segunda fase da minissérie Chiquinha Gonzaga, de 1999. Desde que fez esse trabalho, nunca mais deixou a Globo, emissora com a qual tem contrato até 2011. "Sem falsa modéstia, tenho uma carreira muito bem construída", enfatiza o actor que, um dia, estudou Educação Física em Brasília e sonhava em ser atleta.

Sem parar
Não é a primeira vez que Murilo Rosa encarna um protagonista na televisão. Em Mandacaru , dirigida por Walter Avancini na Manchete, o actor vivia o personagem central da trama.
"Naquela época chegava às 6h30 para gravar. Hoje consigo começar às 9h", compara. Apesar da carga de trabalho ser pesada, com centenas de cenas para serem feitas, o actor não reclama e nem encara o título de protagonista como um peso. "Estou feliz, entendo a força de meu personagem na trama mas não encaro isso como um peso. Tenho mil outras coisas para fazer", resume Murilo. E tem mesmo. Além de dar atenção à família, o actor foca suas energias no cinema. Em Março deste ano, estreia o filme Orquestra dos Meninos, também protagonizado por ele. O longa, dirigido por Paulo Thiago , conta a história do maestro pernambucano Mozart Vieira, que ensinava música clássica para crianças carentes. "Talvez tenha sido o melhor papel da minha carreira", arrisca o actor . E ele não pára por aí. Com o fim da gravação das novelas, Murilo segue para a Índia, onde filma "Tamarindo", do indiano Indranil Chakravarty .


 
 

 

fonte: Terra

publicado por . às 18:15
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De O Tal a 19 de Janeiro de 2008 às 20:08
Amigo/a passei por aqui para lhe convidar a participar no “Concurso Real 3”, pois visto que as outras versões tiveram muito êxito decidi abrir a terceira. Como tal seria uma honra receber a sua inscrição. Caso esteja interessado/a não se esqueça de ler o regulamento, pois é muito importante! =) http://concursoreal3.blogs.sapo.pt/


De Sofi a 21 de Janeiro de 2008 às 15:57
O actor Luís Carlos Tourinho, o Nezinho, faleceu hoje.
http://ego.globo.com/ENT/Noticia/Gente/0,,MUL267772-8334,00-MORRE+LUIZ+CARLOS+TOURINHO+O+NEZINHO+DE+DESEJO+PROIBIDO.html

E o primeiro filho do actor Daniel Oliveira nasceu hoje.
http://ego.globo.com/ENT/Noticia/Gente/0,,MUL267694-8334,00-NASCE+O+FILHO+DE+VANESSA+GIACOMO+E+DANIEL+DE+OLIVEIRA.html


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Último post: E o final fo...

. Último episódio de Desejo...

. Fernanda Vasconcellos fez...

. Desejo Proibido foi ontem...

. Último episódio de Desejo...

. Entrevista: Sthefany Brit...

. Camila Rodrigues em Malha...

. Murilo Rosa aproveita vis...

. Novos Casais: Camila Rodr...

. Murilo Rosa nos Globos de...

.arquivos

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008